Emoções: Saiba porque sentimos Inveja!

Estou publicando uma série de artigos sobre emoções! Uma reflexão de como elas influenciam nossa vida e como podem prejudicar quando são negativas! Já foi apresentado sobre: Raiva, culpa, ressentimento e ciúme. Nesse artigo vamos refletir sobre a inveja!

Existe um grande número de pessoas que se sente mal com a felicidade alheia. Não parece ser um sentimento nada bonito, mas é muito comum acontecer. Considerada um dos sete pecados capitais, a inveja costuma ser negada, mas é bem mais comum do que possamos pensar.

E que emoção é essa? A inveja vem do sentimento de desgosto pelo outro ter ou ser o que não temos ou não somos, e pelo desejo de fracasso do outro por ter ou ser algo. Muitas pessoas se envergonham de admitir que são invejosas, por ser uma emoção que denigre sua imagem diante dos outros.

Mas, porque sentimos inveja? Essa emoção, que surge quando percebemos que algo que gostaríamos de ser ou ter pertence à outra pessoa, fala muito de nós mesmos. Por exemplo, vi um caso, na TV, de adolescentes que atacaram uma colega de escola e cortaram, na rua mesmo, seus cabelos. Eram bonitos demais e como elas não suportavam não ter cabelos assim, então ela não podia ter também. Esse é um grau de inveja bastante perigoso, porque pode até acabar em violência. Inveja poderia ser fruto de uma incapacidade?

O mais comum, porém, é uma inveja mais velada e, até, menos ameaçadora. É um hábito criticarmos as pessoas, tentando denegrir sua imagem, por nos sentirmos inferiores a elas. Também é comum a tentativa de justificar a crítica, para não parecer invejoso. Essa dualidade, que traz um duplo sentimento de fracasso, porque o invejoso sofre pela inveja e pela vergonha de ser invejoso, torna essa emoção mais difícil de ser admitida e trabalhada.

O mais importante é compreender o motivo da inveja. Nunca é a maldade que se manifesta em primeiro lugar. É o sentimento de inferioridade, da crença na incapacidade ou desvalorização como pessoa. Por exemplo, se desejo ter algo que não sou capaz de bancar ou não posso geneticamente possuir, ao não saber lidar com a frustração da não aceitação, projeto no outro o sentimento de injustiça, culpando a ele ou ao mundo por minha desvantagem. Isso é um sintoma de baixa autoestima, de desvalorização como pessoa ou, até mesmo, de indignação pelas coisas não serem do que jeito que queremos. Isso também é, consequentemente, sinal de imaturidade.

A boa notícia é que apesar de ser “feio”, é humano e um excelente sinal de que devemos rever nossos conceitos sobre nós mesmos. Não devemos esquecer que as emoções têm sempre intenções positivas. Então, abrir mão da inveja é aprender a conhecer e valorizar seu próprio ser e é uma ótima maneira de crescer e ser feliz. E isso também fará com que a felicidade alheia possa até ser motivo de comemoração.

A inveja é um sentimento que pode ser trabalhado através de uma boa melhora na autoestima! Tudo pode ser melhorado com autoconhecimento! Tenho alguns DEPOIMENTOS de pessoas que com as técnicas de liberação emocional TFT e EFT alcançaram melhoras para diversas outras questões emocionais também!

E você pode usar a TFT para conseguir melhorar sua autoestima para que a inveja não seja um problema na sua vida! Você consegue relatar alguma situação semelhante que acontece com você ou com alguém que tem problemas com inveja?

Que tal compartilhar esse conteúdo com essa pessoa! Técnicas de liberação de questões emocionais e físicas TFT pode ajudar! Deixe seu comentário. Compartilhe sua experiência. Leio todos, um por um!

Receba Dicas e Explicações sobre A EFICAZ E RÁPIDA TÉCNICA TFT ou sobre O PROCESSO REALIZADOR LIFE COACHING!!

2 Comentários

  1. Bruna Silva

    Queria saber algoritmos de TFT para aprender a conhecer e valorizar meu próprio ser e me livrar do sentimento de inveja.

    • Bruna A Tft pode ajudá-la a liberar o sentimento de inveja sim! Assim você terá espaço no seu inconsciente para ressignificações que levarão você a ter amor próprio, autoestima e autoconfiança! Imagine você alcançando e sentindo isso tudo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *